Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sara Beauty

Um blog onde falo sobre diversos assuntos como maquilhagem, beleza em geral, inspirações, etc.

Sara Beauty

08
Abr17

#StretchRevolution: Update Final Parte 1

No início de março, apresentei este desafio que promete melhorar a flexibilidade de quem o cumprir e, logo no início dei de imeadiato a minha opinião sobre algumas as posições.

A primeira coisa que posso dizer é que, conforme as posições foram complicando, eu perdi a motivação para o fazer. Na minha opinião, este desafio não é para quem quer melhorar a sua flexibilidade, é para quem já o consegue fazer. A melhor forma de treinar a flexibilidade é ter posições fixas, ou seja, a mesma posição é repetida ao longo dos dias, uma vez que desta forma, é percetível os ganhos que ocorrem de dia para dia e além disso, estamos a alongar os mesmos músculos em vez de optar por outra posição cujo objetivo é alongar outro músculo qualquer. Não é assim que se treina a flexibilidade.

Não acabei o desafio, mas tendo em conta os conhecimentos que tenho adquirido na minha licenciatura, posso falar-vos muito bem destas posições e é que o pretendo fazer, indo posição a posição.

Dia 1: Algo aparentemente fácil para começar. Totalmente contra-indicado para quem tem dor na lombar, ou mais conhecida, dor nos "rins". Para quem tem normalmente estas dores ou tem uma curvatura na lombar aumentada, vai sentir uma pressão desconfortável ou mesmo dor quando realiza esta posição. Como alternativa, e como o objetivo é alongar a região dos abdominais, podem fazer a mesma posição mas com os antebraços apoiados no chão ou, nada melhor que o espreguiçar.

Dia 2: Para quem tem pouca flexibilidade e pouco equilíbrio, será difícil de alcançar esta posição e o que pode acontecer, é que a pessoa pode facilmente estar a fazê-la de forma errada. O objetivo é alongar os músculos interiores da coxa, e, para tal, nada mais fácil como a borboleta.

Dia 3: Nem todas as pessoas irão alcançar os calcanhares, mas é uma boa posição. Para manter uma postura correta, deve-se tentar tocar com o peito nas coxas e não a cabeça.

Dia 4: Cuidado com os joelhos. Esta é um posição em que algumas pessoas irão ter tendência para fazer hiperextensão do joelho, ou seja, quando se está em pé, visto de lado e se se traçar uma linha imaginária da anca ao tornozelo, o joelho está totalmente fora da mesma, algo que é bom em nada! Esta será uma boa alternativa.

Dia 5: Em vez de tentarem alcançar os calcanhares, toquem apenas no chão e, novamente, cuidado com os joelhos.

Dia 6: Cuidado com os joelhos e não tentem alcançar os calcanhares, vão até onde sentirem um desconforto suportável.

Dia 7: Uma boa posição.

Dia 8: O objetivo é alongar os quadricípetes, contudo, pode provocar desconforto no pescoço. Esta será uma boa alternativa para quem não se sentir confortável.

Dia 9: Vão até onde conseguir. Tentem tocar com o peito nas coxas ao invés do queixo.

Dia 10: Este é mais um exercício de força. Para quem não sentir o alongamento nos quadricípetes, a alternativa da posição 8 é adequada.

Dia 11: Uma posição boa para alongar os músculos posteriores da coxa e coluna.

Dia 12: Esta posição tem o objetivo de alongar vários grupos ao mesmo tempo: os quadricípetes e os tricípetes. Para o tricípete, podem fazer exatamente o que é demonstrado na figura mas sentado normalmente ou mesmo em pé, para os quadricípetes, a alternativa do dia 8. Para quem se sentir confortável e capaz de fazer esta posição, força nisso!

Dia 13: Uma boa posição!

Dia 14: Esta é uma posição de equilíbrio e de treino de força para os músculos da coluna. O objetivo não é alongar.

Dia 15: A posição do dia 11 tem o mesmo efeito para quem não conseguir fazer esta posição. 

 

O resto virá noutro post no próximo sábado, caso contrário, seria um post um pouco longo. Alguém fez este desafio? Que opiniões têm?

2 comentários

Comentar post